Header Ads Widget

Fotografia mostra avião americano lotado de refugiados afegãos fugindo de Cabul


Uma
fotografia divulgada, ontem, pelo órgão de comunicação social norte americano Defense One está correndo o mundo, mostrando os momentos de caos e desespero que os civis afegãos têm vivido nas últimas horas em Cabul, após a conquista da capital pelos talibãs.

Na imagem, cedida à Reuters pelo referido meio, é possível ver o avião militar dos Estados Unidos C-17 Globemaster III lotado com afegãos que fugiram de Cabul. 

O Defense One adianta que fotografia foi tirada no domingo e que a aeronave transportou 640 pessoas, de Cabul para o Qatar, depois de centenas de civis terem subido pela rampa do avião.

Importa recordar que várias pessoas morreram nesta segunda-feira, no aeroporto de Cabul, onde cidadãos nacionais e estrangeiros tentavam fugir do país, no primeiro dia do Afeganistão sob controle do movimento radical talibã desde a invasão dos Estados Unidos, em 2001.

Na madrugada desta segunda-feira, sublinhe-se, as forças militares norte-americanas dispararam para o ar para tentar dispersar as pessoas de tentar embarcar em voos militares.

Vídeos e relatos colhidos pela agência de notícias afegã Asvaka mostram pessoas caindo de um Boeing C-17, da Força Aérea dos Estados Unidos, ao tentarem fugir de Cabul, capital do país, tomada ontem pelo grupo Taliban.

O Ministério das Relações Exteriores emitiu nota oficial, na noite desta segunda-feira (16), em que informa não haver registro de cidadãos brasileiros residindo ou em trânsito no Afeganistão.

Como não há embaixada do Brasil no país, o apoio diplomático a brasileiros que porventura estejam em solo afegão está sendo feito pela Embaixada do Paquistão, país vizinho. 

"Os telefones de plantão da Embaixada do Brasil no Paquistão (+92 300 8525941), que tem a jurisdição consular sobre o território afegão e da Divisão de Assistência Consular do MRE (+55 61 98197-2284) estão disponíveis para qualquer nacional que se encontre no país e necessite urgentemente de auxílio", informou o Itamaraty.

Postar um comentário

0 Comentários