Header Ads Widget

Ambev vai aumentar o preço das cervejas a partir de outubro


A cervejaria Ambev vai aumentar os preços das cervejas. De acordo com a dona das marcas Brahma , Skol e Stella Artoisa alteração, que deve ser observada a partir de outubro, faz parte de um movimento constante da estratégia da companhia.

“A Ambev faz, periodicamente, ajustes nos preços de seus produtos e as mudanças variam de acordo com as regiões, marca, canal de venda e embalagem”, disse a empresa por nota enviada ao Valor.

A companhia não informa qual o valor de correção dos preços e se eles devem ser aplicados somente no canal on trade, ou seja, bares e restaurantes.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) diz que a informação de associados de São Paulo é de que o aumento “deve vir alinhado com a inflação acumulada nos últimos 12 meses, que gira em torno de 10%”. A Abrasel ainda não tem informação de outros Estados.

Embora a Ambev não associe o reajuste à pressão inflacionária, é fato que os custos de produção seguem em escalada. 

No consolidado de sua operação, o aumento do custo de produtos vendidos (CPV) por hectolitro cresceu quase 16% no acumulado de 12 meses ao fim do segundo trimestre. A pressão de custos foi ainda mais expressiva no Brasil, onde o CPV por hectolitro saltou 18,8% no trimestre.

Em entrevista ao Valor à época da divulgação do resultado do segundo trimestre, o diretor financeiro Lucas Lira afirmou que entre os motivos dessa pressão estão a desvalorização cambial no Brasil e na Argentina e a inflação de commodities.

“Para o ano que vem, por enquanto, a pressão que esperamos ter do lado do custo é menor do que estamos vivendo em 2021”, afirmou, observando, porém, ser preciso manter cautela quanto às projeções devido às volatilidades e incertezas ainda grandes.

De acordo com dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE, a cerveja para consumo no domicílio registrou aumento nos preços de 0,29% em agosto, 3,49% no ano e 7,62% no acumulado em 12 meses.

Já a cerveja para consumo fora do domicílio sofreu elevação de 0,05% no mês, de 3,14% no ano e de 5,94% no acumulado em 12 meses. Portanto, a variação dos preços da cerveja ainda estaria aquém da variação do IPCA, que no mês de agosto teve alta de 0,87%. No acumulado do ano, a variação é de 5,67% e, no acumulado em 12 meses, o índice teve aumento de 9,68%.

Para os analistas do Credit Suisse, o reajuste em outubro é uma notícia positiva para os acionistas da Ambev, já que a ação pode ajudar a mitigar os efeitos negativos esperados para o início de 2022. O banco recomenda compra do papel, com preço-alvo de R$ 21,50.

Fonte: Valor Econômico

 


Postar um comentário

0 Comentários