Header Ads Widget

Na Bahia, Bolsonaro diz que ideia de Queiroga é mudar até 31 de março status da Covid de pandemia para endemia

Presidente Jair Bolsonaro durante visita à Bahia nesta quarta-feira — Foto: German Maldonado/TV Bahia


Por: G1Bahia 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (16), que pretende alterar, até o dia 31 de março, o status da Covid-19 no Brasil de pandemia para endemia. O líder do Executivo nacional está na Bahia onde cumpriu agenda no Senai Cimatec e, em seguida, participou da cerimônia de lançamento da pedra fundamental da nova unidade de biomagem das Obras Sociais Irmã Dulce, entidade filantrópica que atende milhares de pessoas todos os anos.

"A tendência do Queiroga, que é autoridade nesta questão, tem conversado na Câmara de Deputados, parlamentares, também o Supremo, que é o órgão federal. A ideia é que até o dia 31, é a ideia dele, passar de pandemia para endemia e vocês vão ficar livres da máscara em definitivo", revelou.

Desde março de 2020 a Organização Mundial de Saúde classifica como pandemia o cenário da Covid-19 no mundo. Em janeiro deste ano, o chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, emitiu alerta aos líderes mundiais de que a pandemia do novo coronavírus "não está nem perto do fim".

Sobre o uso das máscaras, estados e municípios são responsáveis pela decisão de suspender a obrigatoriedade do uso.

Ao chegar no Senai Cimatec, o presidente foi recebido com vaias e gritos de repúdio por parte de um grupo de estudantes. A recepção foi bem diferente ao chegar nas Obras Sociais Irmã Dulce. Alguns médicos e funcionários fizeram questão de registrar selfies com o presidente.

Bolsonaro visita sede da Osid em Salvador — Foto: Eric Luis Carvalho / g1 Bahia


Encontro com apoiadores

Ainda em Salvador, o presidente Jair Bolsonaro participou da cerimônia de lançamento da pedra fundamental da nova unidade de bioimagem das Obras Sociais Irmã Dulce. Essa é 13ª visita do presidente à Bahia, a primeira em 2022.

"Me sinto confortável e tranquilo de poder colaborar com as Obras Sociais Irmã Dulce. A todos que trabalham aqui, nosso reconhecimento e muito obrigado", disse o presidente, em um breve discurso no evento.

Em seguida, Bolsonaro quebrou o protocolo, deixou a área de segurança e se aproximou do grupo de apoiadores que o aguardava do lado de fora do gradil

Após deixar a OSID, a comitiva de Bolsonaro foi até a Igreja do Bonfim, um dos templos religiosos mais famosos na capital baiana.

Bolsonaro encontra apoiadores após evento em Salvador — Foto: Eric Luis Carvalho / g1 Bahia


Obras Sociais Irmã Dulce

Também conhecida como Complexo Roma, Sede das Obras Sociais Irmã Dulce fica em Salvador — Foto: Divulgação/Osid


Fundada em 1959, pela Santa Dulce dos Pobres, a instituição abriga, em seus 40 mil metros quadrados de área construída, 20 dos 21 núcleos da entidade, incluindo 954 leitos hospitalares. A OSID realiza uma média de 3,5 milhões de procedimentos ambulatoriais por ano na Bahia e cerca de 23 mil cirurgias em várias especialidades médicas.

No entanto, a situação atual também é de preocupação. Com um déficit de quase R$ 24 milhões, que podem ser acrescidos de outros R$ 20 milhões até o final do ano, o complexo pode fechar as portas caso não consiga resolver a situação.

A nova unidade de Bioimagem será construída na área conhecida como Campo dos Sonhos, que desde 2013 pertence às Obras Sociais, nas proximidades da sede da unidade.

Atualmente, o setor de Bioimagem da instituição realiza cerca de sete mil procedimentos por mês. Com a construção do núcleo, além de exames como tomografia, mamografia e punção, já realizados atualmente, o complexo de saúde vai oferecer, gratuitamente, procedimentos de alta complexidade, como ressonância magnética, densitometria e exames contrastados com mesa telecomandada.

A expectativa é de que as obras de construção sejam iniciadas em maio e finalizadas até novembro de 2022. O financiamento da unidade contou com uma campanha de arrecadação de dinheiro e de materiais de construção chamada Bloco do Bem. Artistas baianos fizeram parte da campanha, como Durval Lelys, Tuca Fernandes, Saulo, Margareth Menezes e Carlinhos Brown.

A unidade é referência em atendimento de pacientes oncológicos e atende cerca de nove mil pessoas com câncer na capital baiana. Todos os procedimentos são realizados gratuitamente.

Além dos trabalhos em saúde pública, a entidade presta assistência à população de baixa renda nas áreas da assistência social, pesquisa científica, ensino em saúde, ensino fundamental e na preservação e difusão da memória de Santa Dulce dos Pobres, fundadora da instituição.

Combustíveis

Bolsonaro aproveitou a visita à capital baiana para falar da política de preços de combustíveis. A Bahia tem a única refinaria já privatizada no país, a Acelen, atual operadora da Refinaria Mataripe. O presidente disse que não interfere na política de preços da Petrobras e elogiou a Acelen.

"Por coincidência, a única refinaria privatizada é daqui e resolveu sair na frente. Os dados que tenho é de que o PBI (preço barril internacional) do dia aqui está já abaixo do preço praticado. Sou presidente da República, não interfiro e, se pudesse interferir, teria dado outras sugestões", comentou.

Combustíveis

Bolsonaro aproveitou a visita à capital baiana para falar da política de preços de combustíveis. A Bahia tem a única refinaria já privatizada no país, a Acelen, atual operadora da Refinaria Mataripe. O presidente disse que não interfere na política de preços da Petrobras e elogiou a Acelen.

"Por coincidência, a única refinaria privatizada é daqui e resolveu sair na frente. Os dados que tenho é de que o PBI (preço barril internacional) do dia aqui está já abaixo do preço praticado. Sou presidente da República, não interfiro e, se pudesse interferir, teria dado outras sugestões", comentou.

Comitiva

Participaram da comitiva presidencial João Roma (Cidadania), Marcelo Queiroga (Saúde) e Luiz Eduardo Ramos (Chefe da Secretaria-Geral da Presidência).

O responsável pelo Ministério da Saúde, Marcelo Queiroga, reforçou a importância do trabalho das obras sociais iniciadas por Irmã Dulce.

"Sabemos que há muitas filantrópicas, mas a de Irmã Dulce está no coração de cada um de nós. Cada centavo investido aqui é investido no povo da Bahia. É uma obra sensível. Investimos R$ 9 milhões para termos ressonância e outros exames de imagem que vão ajudar. Irmã Dulce aprovaria essa conduta. Pedimos a bênção da nossa santa Dulce para que ela ajude a guiar nosso caminho e guiar Salvador, a Bahia e o Brasil".

O ministro da Cidadania, João Roma, sinalizou que o trabalho das Obras Sociais Irmã Dulce é reconhecido pelo atendimento ao público de menor poder aquisitivo. "É uma emoção muito forte visitar isso aqui. Essa é uma obra que mostra, sobretudo, o cuidado com os mais carentes", completou.

Postar um comentário

0 Comentários