Header Ads Widget

Bezerra nasce com duas cabeças e assusta moradores em povoado na Bahia: 'a mãe não deixava encostar nela'

Animal morreu nesta quinta-feira (21), quatro dias após nascimento, na cidade de Macaúbas.

Bezerra nasce com duas cabeças e assusta moradores no oeste da Bahia — Foto: Arquivo Pessoal

Uma bezerra nasceu com duas cabeças na cidade de Macaúbas, no sudoeste baiano. Segundo o vigilante Elidan Oliveira Sousa, de 36 anos, o caso aconteceu na segunda-feira (18), mas o animal morreu nesta quinta (21).

O caso, que não é raro, mas também não é comum, aconteceu no povoado Tapera do Peixe, na zona rural do município. O nascimento da bezerra, em primeiro momento, assustou a família de Elidan Oliveira Sousa.

“É uma coisa rara de acontecer, um caso inusitado. Minha filha ficou impressionada, porque nunca tinha visto essa situação inusitada”, disse o vigilante que tem apenas um casal de gado.

A bezerra viveu apenas quatro dias. Nesse período, o vigilante e a filha dele, Élida Sousa, de 12 anos, pouco tiveram contato com o animal. O motivo? A mãe protetora.

“A vaca, a mãe, não deixava a gente encostar nela. A gente queria colocar a bezerra para mamar, fazer o procedimento certo”, contou o vigilante.

A "bezerrinha" não chegou a ser avaliada por veterinários.

A gente informou a veterinários, mas não tivemos a disponibilidade para levar. Íamos hoje à tarde, para eles olharem, mas a bezerra veio a óbito antes”, afirmou.

'Da natureza'

Especialistas afirmam que animais com anomalia genética geralmente nascem mortos, morrem após o parto ou com pouco tempo de vida. O biólogo Tiago Freitas explicou a reportagem que, possivelmente, poderia surgir um segundo bezerro, gêmeos univitelinos.

"Algo fez que não houvesse a separação correta deles. Daí, temos fatores como a consanguinidade e a presença de substâncias tóxicas como fatores de uma mutação", explicou o biólogo.

Segundo Tiago Freitas, a mutação levou a formação dessa segunda cabeça. A anomalia pode ter causado algum tipo de dificuldade para que a bezerra não tenha ficado viva.

O processo de mutação gerou essa segunda cabeça e obviamente ele tende a não se manter. A mutação é algo natural, ela acontece, mas não sempre. É da natureza”, afirmou.


G1Bahia 


Postar um comentário

0 Comentários