Header Ads Widget

Policial militar mata mãe, irmão, esposa e filhos em chacina no Paraná

Foto: Redes sociais


Um policial militar matou oito pessoas – incluindo esposa, dois filhos, uma enteada, a mãe e um irmão – na madrugada desta sexta-feira (15), nas cidades de Toledo e Céu Azul, no Oeste do Paraná. 

De acordo com a Polícia Militar, Fabiano Junior Garcia, de 37 anos, lotado no 19º BPM (Batalhão de Polícia Militar), cumpriu plantão na quinta-feira (14) até por volta de 19 horas, em Toledo.

A polícia acredita que, ainda em Toledo, ele tenha matado a esposa e um filho. Em seguida, o homem foi a Céu Azul, a uma propriedade rural, onde matou a tiros dois de seus filhos, que moravam com a avó materna.

Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

Depois, de acordo com a TV Band em Cascavel, o homem retornou a Toledo, onde tirou a vida da mãe dele, de 78 anos, e de um irmão, de 50 anos. Duas pessoas que caminhavam na rua também foram mortas, concluindo a chacina de oito pessoas no total. Na sequência, ele tirou a própria vida. 

As vítimas são a esposa Kassiele, de 28 anos; o filho Miguel, de 4 anos; a filha Kamili, de 9 anos; a enteada Amanda, de 12 anos; a mãe Irene, de 78 anos; e o irmão Claudiomiro, de 50 anos; além dos jovens Kaio, de 17 anos e Luiz, de 19 anos.

"Ele mandou áudios para familiares e amigos, explicando a situação, o que deu a entender, como fator de motivação para toda essa tragédia, foi a separação dele, que não estava aceitando a separação", disse o comandante-geral da PM do Paraná Hudson Leôncio Teixeira.  

Fabiano Garcia trabalhava na PM havia 12 anos. Em nota, a corporação diz que o policial “não tinha histórico que pudesse indicar problemas psicológicos”. 

"A Polícia Militar está consternada e lamenta profundamente o ocorrido nas cidades de Toledo-PR e Céu Azul-PR. O policial militar que prestava serviços no 19º Batalhão em Toledo não tinha histórico que pudesse indicar problemas psicológicos e atuava como motorista do Coordenador do Policiamento da Unidade. Desde dezembro de 2020, a região conta com o apoio do programa PRUMOS, que disponibiliza atendimento psicológico e social aos militares e dependentes, com profissionais contratados para atuar nas Organizações Policiais Militares", diz a nota na íntegra.


BAND/UOL

Postar um comentário

0 Comentários