Header Ads Widget

Prefeitura de Feira de Santana anuncia reajuste e pede fim da greve de professores na Justiça; categoria mantém paralisação

Professores mantém greve em Feira de Santana — Foto: Divulgação/APLB


As informações são do G1A

 A prefeitura de Feira de Santana, cidade a cerca de 100 km de Salvador, anunciou, nesta quarta-feira (6), que começa a pagar, a partir deste mês, o piso salarial nacional para os professores da rede municipal da cidade. Com isso, o salário dos professores passa a ser de R$ 3.845,63 para uma jornada de 40h semanais.

reajuste foi autorizado e publicado no Diário Oficial da prefeitura e será retroativo ao mês de janeiro.

percentual de reajuste chega a 33% para os professores que ganhavam abaixo do piso nacional da categoria e de 5% para os demais professores. A prefeitura também autorizou o reajuste de 5% para os demais servidores municipais, tanto para os trabalhadores ativos como para inativos e pensionistas.

Além do reajuste para os servidores, a prefeitura entrou, através da Procuradoria Geral (PGM), com uma ação na Justiça pedindo a suspensão imediata da greve. A gestão diz que o movimento é “ilegal e abusivo”.

No podido, em caráter liminar, a prefeitura pede urgência para que a categoria restabeleça de imediato as atividades paralisadas, sob pena de pagamento de multa diária de R$ 200 mil.

A prefeitura pede ainda para que a Secretaria Municipal da Fazenda bloqueie repasses feitos ao sindicato para garantir o pagamento das multas em caso de descumprimento da medida, além do desconto dos dias não trabalhados pelos servidores faltosos que aderiram à greve.

Sindicato mantém greve e diz que não há pedido judicial

Os 5% de reajuste não foram aceitos pela categoria, que após assembleia, realizada na tarde desta quarta-feira, decidiu manter a paralisação.

O sindicato diz que até às 20h desta quarta-feira nenhuma ação referente ao tema havia sido protocolada, e acusa a prefeitura de mentir sobre o tema para enfraquecer o movimento.

Postar um comentário

0 Comentários